Skip to content

Steel Framing: A importância do planejamento

A construção com Steel Frame proporciona vantagens substanciais quando comparada à construção tradicional, mas também requer uma abordagem diferente, já que a sua natureza é muito diferente à das obras úmidas com alvenaria.

Projeto

Mesmo que toda obra precisa passar pelas fases de anteprojeto e projeto executivo, uma realidade estabelecida no nosso país há bastante tempo é que nas obras tradicionais poucas vezes é realizado o mencionado projeto executivo. Muitos assuntos são deixados para “definir na obra”. Assim são admitidas modificações de locação e tamanho de aberturas, locação de sanitários e inclusive modificações da planta de arquitetura. Isso é devido o comitente muitas vezes não definir as suas necessidades, o profissional não pode realizar um projeto concreto, e isso traslada-se à obra, lugar no qual são definidos muitos assuntos, com as consequentes voltas atrás e mudanças durante o andamento, que redundam em demoras, sindicatos que não podem avançar e devem retirar-se da obra, etc. Resumindo: maiores custos pro proprietário.

O Steel Framing precisa de um projeto definido até o último detalhe. Devem definir-se os níveis de piso terminado, e isso implica que também devam ser definidos os materiais dos revestimentos, os tamanhos exatos e locações das aberturas, o nível do forro requerido, etc. Isso leva a ter que investir mais tempo na execução do projeto, mas depois, assegura uma obra fluida, na qual as tarefas vão se sucedendo segundo o planejado.

Em uma obra em Steel Framing existe a possibilidade de realizar mudanças “durante o andamento”, mas o comitente tem que estar consciente que ditas mudanças, além de custos adicionais, significarão demoras no plano de trabalho original.

Exatidão

As obras em Steel Framing são exatas, ou seja, não existe uma tolerância apreciável nas medidas dos painéis, já que só são admitidas discrepâncias de +/- 1 mm. Isso, que parece inalcançável, é facilmente obtenível ao trabalhar com perfis cujas dimensões são estáveis e os métodos de corte exatos. E o ponto mais crítico é o apoio dos painéis no radier. Esse último normalmente é coado sem tomar em conta a superfície de apoio dos painéis, resultando em desníveis de 1 cm ou mais entre diferentes pontos. Isso é inadmissível pro Steel Framing, já que os painéis devem apoiar na laje para permitir a passagem de cargas por contato.

O problema da falta de nível deve ser resolvido mediante a construção de faixas de nivelamento, um contrapiso ou utilização de argamassas autonivelantes. Se não foi previsto no projeto, é provável que os níveis dos forros livres sejam diferentes dos combinados.

Em obras tradicionais, qualquer diferença de nível é resolvida “carregando” os rebocos. Isso gera um maior consumo de materiais, o que causa desvios nos custos. No Steel Framing não existe essa possibilidade, e portanto os cálculos de materiais são semelhantes aos consumos reais.

Resumindo: os tempos investidos no projeto de uma obra de Steel Framing são recuperados com juros durante a fase de construção, reduzindo também os custos pela redução de desperdícios. Isso é algo que deve ser considerado na hora de comparar os custos entre a construção tradicional e o Steel Framing.

Acesse aqui e conheça os produtos da Barbieri do Brasil

Eng. Francisco Pedrazzi

Controller Op. Uruguai e Brasil da Barbieri

Be First to Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *